fbpx

Cerca de 16 males podem ser combatidos com o auxílio de exercícios físicos

2 minutos para ler

Mexer o corpo ajuda no combate a diabetes, já que favorece a ação da insulina, hormônio que abre as portas das células para a molécula entrar e virar energia. Atividades físicas reduzem a glicemia por vias paralelas às dos remédios, as táticas se complementam e isso minimiza o risco de danos aos olhos, aos rins e ao coração.

Seis meses de malhação acarretam uma queda de 5 a 7 mm Hg na pressão sistólica, um hipertenso leve apresenta esse valor na casa dos 150 mm Hg quando deveria estar, no máximo, em 130 mm Hg. Com 4 mm Hg a menos, já se vê o risco de um acidente vascular cerebral cair em 15% e o de um infarto em 10%.

As taxas de colesterol costumam cair com pedaladas e afins. No entanto, a grande vantagem de sair do sofá é melhorar o perfil das partículas de gordura que trafegam pelo organismo, elas se tornam menos densas e menos propensas a se fixar nas veias e artérias. Embora não dê pra notar tão bem esse benefício nos exames, ele diminui o risco de entupimentos.

Colocar-se em movimento também emagrece e evita o efeito sanfona. Além disso, um obeso ativo tem menor risco de sofrer males cardiovasculares do que magros sedentários.

Além de viverem mais, os pacientes que não abandonam a sala de ginástica vivem melhor.

Posts relacionados

Deixe um comentário