fbpx

Gripe H1N1: tudo o que você precisa saber sobre a vacinação

4 minutos para ler

O vírus H1N1 ficou extremamente conhecido há mais ou menos uma década, quando, no Brasil, ocorreu a epidemia desse vírus da gripe que provocou duas mil mortes no país. Contudo, ele não ficou apenas no passado, em 2018 foi o responsável por 65% dos óbitos decorridos da doença. Então, é um cenário que continua preocupando. A gripe H1N1 continua registrando vítimas fatais. Portanto, é imprescindível que a população esteja prevenida contra a doença, através da vacinação. Sintomas da gripe H1N1

Os sintomas ocasionados pela gripe H1N1 são os mesmos causados por outras versões do vírus influenza. Confira abaixo:

  • Febre alta;
  • Mal-estar;
  • Dor de cabeça;
  • Espirros;
  • Tosse.

A diferença entre essa doença e as demais causadas pelo vírus influenza consiste nos riscos das complicações. A vacinação contra a gripe H1N1

A vacinação contra esse tipo de vírus é oferecida em uma imunização tetravalente, ou seja, ela é capaz de oferecer proteção ao paciente contra três tipos de vírus diferentes. A composição dessa vacina é recomendada anualmente pela OMS (Organização Mundial da Saúde). Sendo assim, isso quer dizer que todos os anos a vacina da gripe muda, para que seja possível garantir a proteção contra os tipos de vírus mais comuns da gripe, naquele período. No Brasil, os tipos de vacina contra influenza utilizados são as imunizações com o vírus fracionado ou de subunidades. É importante lembrar que pessoas de qualquer idade podem ser protegidas com essa vacina. Ela é composta por antibióticos, como a neomicina e a polimixina, e o timerosal como conservante.  Mulheres grávidas podem tomar a vacina?

Muitas gestantes possuem diversas dúvidas a respeito da vacinação. A resposta para essa pergunta é: sim. No caso das mulheres grávidas, a imunização é administrada com o objetivo de oferecer mais proteção, ou seja, ela não é apenas permitida, como é aplicada durante o período de gestação. As indicações da vacina da gripe

Alguns grupos de pessoas são considerados como prioridades para a vacinação, segundo o Ministério da Saúde. Confira abaixo:

  • É indicada a administração da vacina em adultos e em crianças com idade a partir de seis meses de vida, com doença pulmonar ou cardiovascular crônicas e graves, insuficiência renal crônica, diabetes melito insulinodependente, cirrose hepática e hemoglobinopatias;
  • Indivíduos imunocomprometidos ou HIV positivos;
  • Também é indicado a pacientes que foram submetidos a transplantes;
  • A vacinação é importante, também, para profissionais de saúde e familiares que estão em constante contato com indivíduos com os quadros citados acima;
  • Idosos, com mais de 60 anos, também devem vacinar-se.

Contraindicações da vacina

Qualquer paciente que contiver uma hipersensibilidade aos componentes da vacina faz com que esta se torne contraindicada para ele. Além disso, caso o indivíduo apresente reação anafilática após tomar uma das doses, também apresenta o quadro de contraindicação. Caso ocorram quadros de doenças febris agudas, também é contraindicada a vacinação.

A vacinação está disponível nas unidades do Laboratório Pasteur e, caso você ainda tem dúvidas a respeito da vacina, entre em contato com a gente. E, para ter acesso ao calendário completo de vacinação, basta clicar aqui.

Posts relacionados

Deixe um comentário