fbpx

Pré-natal: Exames obrigatórios durante a gestação

2 minutos para ler

Durante a gravidez, a responsabilidade de carregar, nutrir e cuidar por nove meses de outro ser é exclusivamente da gestante. Por isso, ao descobrir sobre a gravidez, a futura mãe precisa procurar um médico ginecologista para acompanhá-la desde os primeiros meses de gestação até o pós-parto.

Os exames de pré-natal podem variar de acordo com a necessidade da paciente entre outros fatores, mas alguns deles devem, obrigatoriamente, ser solicitados. São eles:

• Hemograma: avalia se a gestante tem anemia, o tipo e a causa, e analisa leucócitos e plaquetas, importantes nos processos inflamatórios e na coagulação, respectivamente.
• Glicemia: investiga se a gestante possui diabetes gestacional, condição adquirida especificamente na gravidez.
• Tipagem sanguínea e fator Rh: o exame identifica o fator Rh materno. Se a mãe tiver Rh negativo e o pai Rh positivo, há 50% de chance de o feto ser Rh positivo. Nesse caso, a gestante produz anticorpos que atravessam a placenta e iniciam um processo de destruição das hemácias fetais, gerando anemia fetal.
• Anti HIV: detecta se a gestante é HIV positivo (portadora da AIDS). Se confirmado, há grande chance de transmitir a doença para o feto.
• Rastreamento da sífilis ou VDRL: se positivo, é necessário fazer o exame FTA-Abs para comprovação.
• Detecção de hepatite B ou HBsAg: se o resultado for positivo, é imprescindível a aplicação de vacina associada à imunoglobulina no bebê, de preferência após as primeiras 12 horas após o parto.
• IgM e IgG para toxoplasmose: se negativos, significa que a paciente não está imunizada, ou seja, nunca teve a doença e nem foi vacinada – o que requer cuidado, pois a gestante pode adquirir a doença e transmiti-la ao feto. Se positivos, significa que a paciente está com a doença em fase aguda, ou possui IgM residual. IgM negativo e IgG positivo significa doença antiga, por contato no passado ou paciente imunizada. IgM positiva e IgG negativa significa suspeita de toxoplasmose em fase inicial.
• IgM e IgG para rubéola: se negativo, é importante vacinar a mãe logo após o parto e orientá-la sobre os cuidados para evitar a doença durante o período gestacional.
• EAS, urocultura e antibiograma: exames para avaliar infecção urinária.

Posts relacionados

Deixe um comentário