fbpx

Vacina tríplice viral: entenda como e quando tomar

6 minutos para ler

A vacina tríplice viral recebe essa denominação justamente por reunir, em uma só injeção, três tipos de imunizações diferentes. É composta de vírus vivos atenuados contra o sarampo, caxumba e a rubéola. Todos os elementos que estão presentes nessa vacina obrigatória são altamente eficazes e imunogênicos. Isso permite que a pessoa esteja imune por, praticamente, a vida toda. O indivíduo começa a ficar protegido cerca de duas semanas após a vacinação. Veja cada uma das doenças abaixo:

Sarampo
Doença de característica infectocontagiosa, causada por um vírus denominado de “Morbillivirus”. É transmitida por secreções das vias respiratórias, como gotículas que são eliminadas pelo espirro ou pela tosse.

A pessoa infectada pode transmitir o sarampo mesmo antes dos primeiros sintomas aparecerem. Isso ocorre porque há um período de 12 dias entre o contágio e a manifestação da doença. Veja os sintomas do sarampo:

  • Manchas avermelhadas na pele (exantema maculopapular), que começam no rosto e progridem na direção dos pés;
  • Febre;
  • Tosse;
  • Mal-estar;
  • Conjuntivite;
  • Coriza;
  • Perda de apetite;
  • Manchas brancas na parte interna das bochechas (exantema de Koplik).

Caxumba
A doença é ocasionada pelo paramyxovirus, da classe rubulavirus. É uma infecção viral que afeta as glândulas parótidas (um dos três pares de glândulas que produzem saliva). Há casos nos quais a caxumba afeta, também, as glândulas submandibulares e sublinguais. Todas estão situadas próximas aos ouvidos.

Esse tipo de enfermidade é comum em crianças e são raras as complicações geradas pela caxumba. Geralmente, há mais consequências quando a pessoa contrai a doença já na fase adulta. A transmissão ocorre por via respiratória, ou seja, ao inalar gotículas do espirro ou tosse de pessoas infectadas. Conheça os sintomas da doença:

  • Inchaço e dor nas glândulas salivares (parotidite), podendo ser em ambos os lados ou em apenas um deles;
  • Febre;
  • Dor de cabeça;
  • Fadiga e fraqueza;
  • Perda de apetite;
  • Dor ao mastigar e engolir.

Rubéola
Essa doença é conhecida, também, como sarampo alemão. É uma infecção contagiosa causada por vírus e caracterizada por erupções vermelhas na pele. Como acontece nas doenças anteriores, essa também é uma enfermidade que é transmitida de uma pessoa para outra por vias respiratórias. Veja os sintomas da doença:

  • Febre leve, até 38º C;
  • Manchas vermelhas que aparecem inicialmente no rosto e atrás da orelha e depois seguem em direção aos pés, durante cerca de três dias;
  • Dor de cabeça;
  • Dor nos músculos;
  • Congestão nasal;
  • Dificuldade para engolir;
  • Ínguas inchadas, especialmente no pescoço;
  • Olhos vermelhos.

Quantas doses são necessárias da vacina tríplice viral? De acordo as recomendações da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), as crianças devem receber a primeira dose da vacina aos 12 meses de vida e, a segunda deve ser administrada aos 15 meses. Ou seja, é considerado que o indivíduo está devidamente imunizado se ele for vacinado com as duas doses depois de um ano de idade. Agora, as pessoas que não foram vacinadas quando bebês podem ser imunizadas em qualquer momento da vida. Em indivíduos com até 29 anos de idade, serão administradas duas doses, e aqueles que possuírem 30 anos ou mais, a vacina será aplicada em dose única. Veja as contraindicações da vacina tríplice viral:

  • Antecedentes de reação anafilática sistêmica, ou seja, pessoas que sofreram com reações imediatas que se instalam habitualmente na primeira hora após o estímulo do alérgeno. As reações são: urticária generalizada, dificuldade respiratória, edema de glote, hipotensão ou choque;
  • Gestantes não devem ser vacinadas;
  • Administração de imunoglobulina humana padrão (gamaglobulina), sangue total ou plasma nos três meses anteriores;
  • As vacinas que possuem vírus vivos atenuados não devem ser aplicadas em pessoas imunodeprimidas.

Reações alérgicas em crianças pequenas Na tríplice viral, a reação febril pode aparecer em um intervalo de cinco a 12 dias após a vacinação. Caso haja febre alta, procure um médico. Ele prescreverá o uso de antitérmicos para controlar a temperatura. É possível, também, o surgimento de manchas vermelhas. Elas aparecem de duas formas: no local da aplicação ou no corpo todo.

Posts relacionados

Deixe um comentário